kar(ma)toon

Bom Karma... ou não!

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

DEFIANCE

Edward Zwick é um dos raros realizadores que ainda arriscam um certo estilo clássico de cinema. Uma forma que já poucos utilizam de compôr obras com todos os ingredientes de outras épocas. Argumentos, diálogos, personagens e uma maneira de filmar que são nitidamente de uma era quase em extinção. Esse classicismo é, como já disse, arriscado, e às vezes (não sempre) custa caro.

"Defiance" parece-me sofrer com esse classicismo. Tem um bom argumento, é extraordinariamente bem filmado, a banda sonora é magnífica - e desde já uma favorita ao Oscar - e é no seu todo um filme muito agradável. Podia ser um grande filme. Não o é por uma nesga, e essa nesga é composta por uma série de detalhes, alguns consideravelmente chatos. Desde logo um pormenor em que alguns realizadores insistem e que não faz, na minha opinião, qualquer sentido. A acção do filme situa-se na Bielorrússia aquando da ocupação nazi, e o facto dos intervenientes, judeus, falarem inglês com sotaque em vez do hebreu original, é algo que não só me irrita solenemente como condiciona e de que maneira as interpretações. A sequência, em que Tuvia - a personagem desempenhada por Daniel Craig - vai a casa dos responsáveis pela morte da sua família, é a todos os níveis brutal. Crua, dura, o diálogo intenso e angustiante. A cena quase toda é falada em bielo-russo, mas no momento decisivo, em que Tuvia se prepara para matar finalmente o causador da sua desgaça, tudo se desvanece ao ouvirmos "this is for my family" num inglês macarrónico e com um acentuado sabor de leste.

Outro problema, e este mais incompreensivo, é a total perda de gás de que o filme sofre lá mais para o meio. Depois de um início auspicioso, também ele brutal, violento quase e muito bem construído, a história cai numa modorra aborrecida, lenta, sem importância e demasiado demorada para a paciência de qualquer espectador. Só mesmo no final é que as coisas se compõem e tudo volta a adquirir um ritmo e uma incerteza interessantes.

Zwick passou ao lado de um filme forte e que podia ser um concorrente de peso aos Oscar. Assim limita-se a tentar vencer um prémio para a melhor banda sonora, da autoria do fabuloso James Newton Howard. E que é um belíssima e pesada banda sonora. Mais uma vez esta semana, é pena.

Etiquetas:

3 Comments:

  • At 20:24, Blogger mandcg said…

    Não era bem sobre Cinema que quero falar, apesar de ser apreciador, mas antes saber como posso enviar-te um email.
    Sou um Sines Fernandes.

    Até breve

     
  • At 20:32, Blogger mandcg said…

    ...faltaram os contactos, e que são:
    sinesfernandes@gmail.com e/ou sinesangola@hotmail.com.

    Um abraço

     
  • At 12:05, Blogger pinkpoetrysoul said…

    tens que ver o Slumdog Millionaire ;)

     

Enviar um comentário

<< Home